Alongar ou Não Alongar, Eis a Questão!

publicado em 29/11/2016

Quando o assunto é alongamento na sala de musculação sempre são geradas dúvidas nos praticantes ou mesmo divergências de opinião dentre os professores de Educação Física. Assim como grande parte dos temas acerca da prática de musculação, quando o se trata do alongamento a melhor resposta do seu professor só pode ser “depende”, e a partir desse momento sim tecer uma explicação particular ao seu caso. Especificidade e individualidade biológica são dois princípios do treinamento físico importantíssimos e devem ser o alicerce de uma boa resposta, pois suas características individuais e a razão pela qual treina musculação farão com que a resposta dada a você não seja a mesma que para outra pessoa.

Existem várias modalidades de alongamento, as mais comuns são: estático passivo, estático ativo, FNP (facilitação neuromuscular proprioceptiva) e dinâmico, sendo que a mais utilizada pelos praticantes de atividades físicas é o estático ativo, em que a própria pessoa realiza uma extensão ou flexão da articulação alvo com o intuito de alongar a musculatura envolvida. Para você reduzir a rigidez na unidade músculo-tendínea com o intuito de evitar lesões por estiramento, deve-se realizar o alongamento por um tempo que seja capaz de causar tais alterações mecânicas no músculo, o que só ocorre passados em torno de quatro minutos, muito mais tempo do que aqueles 20 a 30 segundos que seguramos usualmente em cada posição.

Concluindo, o alongamento pré-atividade não possui grande capacidade de prevenir lesões em pessoas sem predisposição para lesões por estiramento e ele pode sim diminuir o desempenho em treinos de força e potência. Lembre-se sempre dos princípios do treinamento citados no início, para praticantes de dança e escalada por exemplo o alongamento é essencial, cabe ao profissional de Educação Física levar em consideração todas as variáveis como tempo de execução, frequência, objetivos, bem-estar da pessoa, dentre outros, pois o alongamento básico realizado em academias não causará alterações no músculo capazes de prejudicar ou melhorar seu treino, apenas sim sua disposição para começar os trabalhos.

André Felippe